You are currently viewing Deslocados africanos não devem ser esquecidos por guerra na Ucrânia, diz diretora do Acnur

Deslocados africanos não devem ser esquecidos por guerra na Ucrânia, diz diretora do Acnur

Mais de 7 milhões de pessoas migraram dentro do continente africano

Mais de 7 milhões de pessoas migraram dentro do continente africano
FLORENT VERGNES / AFP

A guerra na Ucrânia não deve fazer os europeus se esquecerem da necessidade de ajudar os deslocados e refugiados das regiões ao sul do Saara, afirmou, nesta terça-feira (7), Millicent Mutuli, a diretora do escritório regional do Acnur (Alto Comissariado da ONU para os Refugiados).

Millicent advertiu para a aceleração dos deslocamentos da população nos países da região do Sahel, uma ampla faixa que atravessa a África de leste a oeste, ao sul do deserto do Saara, e para o aumento de ataques jihadistas.   

Desde 2015, os deslocamentos forçados de pessoas no oeste e no centro da África quadruplicaram. No total, 7,4 milhões são deslocados internos e 1,6 milhão buscou refúgio em outros países.

Mutuli quer que a União Europeia se “comprometa a continuar prestando atenção à região da África central e do Sahel” e continuar enviando recursos, apesar de sua atenção se concentrar agora na Ucrânia, onde há oito milhões de deslocados internos e 6,9 milhões de refugiados no exterior.

Mutuli destaca também o risco destes de que estes movimentos migratórios aumentem se a Europa “não der nenhuma resposta às necessidades imediatas da população mais vulnerável”. 

O bloqueio das exportações de cereais dos portos ucranianos ameaça particularmente os refugiados e deslocados “porque enquanto há escassez, cria-se tensão com a população local”.

Deixe um comentário