You are currently viewing Coreia do Norte coleciona inimigos e desafia o mundo com mísseis de longo alcance

Coreia do Norte coleciona inimigos e desafia o mundo com mísseis de longo alcance

A Coreia do Norte intensificou, nos últimos 3 anos, os disparos de mísseis no Mar do Japão no que chama de exercícios militares e que, no fundo, são uma demonstração de força à Coreia do Sul, Estados Unidos e demais países ocidentais. Nas próximas imagens, relembre a sequência de lançamentos que a Coreia do Norte fez nos últimos meses

Antes de iniciar a série de disparos feitos pelos norte-coreanos, vale lembrar que Estados Unidos e Coreia do Sul lançaram oito mísseis balísticos em um treinamento no Mar do Japão na última segunda-feira (6)

Os disparos foram uma retaliação e uma sinalização à Coreia do Norte, que havia feito outros lançamentos na véspera, domingo (5). Os Estados Unidos e a Coreia do Sul quiseram mostrar que são capazes de responder rapidamente a um ataque. Leia a reportagem completa

No último domingo (5), o ditador norte-coreano, Kim Jong Un, autorizou o disparo de oito mísseis balísticos de curto alcance em direção ao mar. Os projeteis partiram da área de Sunan, na capital norte-coreana, Pyongyang, e voaram entre 110 km e 600 km em altitudes entre 25 km e 90 km. Leia mais na reportagem

Em maio, a Coreia do Norte já tinha disparado dois “mísseis balísticos não identificados” rumo ao leste. A manobra ocorreu em um momento em que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, concluía uma viagem à Coreia do Sul e ao Japão

Naquela época, se tratava da primeira viagem de Biden à Ásia como presidente, o que ocorreu sob a sombra da ameaça de um teste nuclear da Coreia do Norte

No início de maio, a Coreia do Norte deu o aval e lançou três mísseis balísticos poucas horas depois de Pyongyang anunciar os primeiros casos de Covid-19 desde o início da pandemia.

O Ocidente interpretou a manobra como uma forma de tirar o foco da doença no país, que não tem testes, hospitais e vacina para prevenir a Covid-19

No comecinho de maio, Kim Jong Un disparou um míssil balístico depois de defender a ampliação e o reforço do arsenal nuclear do isolado país comunista

Em abril, a Coreia do Norte promoveu um megadesfile militar para mostrar o poderio bélico. O evento, porém, pode ter sido o catalisador para a onda de Covid-19 que assola o país

Mostrar as armas que produz é uma estratégia de Kim Jong Un, ditador que comanda a Coreia do Norte

Em março de 2022, o mundo viu uma das maiores ameaças da Coreia do Norte, quando Kim Jong Un supervisionou pessoalmente o disparo de um “novo tipo” de míssil balístico intercontinental de olho nos em um “confronto a longo prazo” com os Estados Unidos

A ação de março marcou a primeira vez que Pyongyang lançou uma arma tão poderosa desde 2017

Dias antes, Kim Jong Un já havia dado o aval para disparos de lança-foguetes. “Houve tiros esta manhã que suspeitamos serem de vários lançadores de foguetes da Coreia do Norte”, disse o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul na ocasião

Em janeiro de 2022, a Coreia do Norte disparou um míssil balístico no mar do Japão

Em setembro do ano passado, a Coreia do Norte lançou um “projétil não identificado” no mar, em frente à sua costa oriental. Na ocasião, o representante de Pyongyang na ONU defendeu o direito do país de desenvolver um armamento próprio

Naquela vez, os norte-coreanos testaram um novo modelo de “míssil de cruzeiro de longo alcance”. Os mísseis voaram 7.580 segundos sobre a Coreia do Norte e suas águas territoriais, atingindo alvos a 1.500 km de distância, acrescentou a KCNA

O ano de 2020 também não passou batido no programa de testes com foguetes da Coreia do Norte. Em março, o país do ditador Kim Jong Un disparou dois mísseis de curto alcance em direção ao oceano, retomando testes após uma pausa de três meses. Os mísseis foram lançados da cidade costeira oriental de Wonsan e voaram 240 quilômetros, alcançando 35 quilômetros de altitude

Em outubro de 2019, a Coreia do Norte testou um novo tipo de míssil balístico lançado de submarino (SLBM, na sigla em inglês) do mar em sua costa leste. O lançamento aconteceu um dia após o país anunciar a retomada de conversas com os Estados Unidos sobre o encerramento de seu programa nuclear. O lançamento foi visto por analistas como o teste mais provocador da Coreia do Norte desde início de conversas com os EUA, em 2018

Em julho de 2019, outros disparos de mísseis pela Coreia do Norte. Ambos atingiram uma altura de 30 mil metros e percorreram 250 quilômetros antes de caírem no mar

Dias depois, Kim deu a autorização para disparar mais dois mísseis a partir de sua costa oriental, de acordo com as Forças Armadas da Coreia do Sul

Em 2019, um relatório feito pelo Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS) dos Estados Unidos identificou uma base secreta da Coreia do Norte que poderia abrigar mísseis balísticos, localizada a cerca de 212 quilômetros a noroeste de Seul

A Coreia do Norte confirmou, também em 2019, o lançamento de dois mísseis de curto alcance com o objetivo de testar uma “nova arma tática teleguiada”. O teste mostrou que os foguetes tiveram trajetórias de 430 quilômetros e de 790 quilômetros, respectivamente, sendo que ambos foram lançados de plataformas móveis

Deixe um comentário